Blog da Regina Guerreiro

03/12/2010

SOZINHO, QUEM NÃO É???

 
 

SOZINHO, QUEM NÃO É???

                   Ilustração (linda!) do inglês Gareth Hopkins

Por Regina Guerreiro às 16h16

27/11/2010

"SE JOGA" NESSA ÁGUA!

 
 

"SE JOGA" NESSA ÁGUA!

 

 



 


ÁGUA DE BEBER. ÁGUA DE LAVAR. ÁGUA DE CHOVER. ÁGUA DE SURFAR. ÁGUA DE NADAR. ÁGUA DE PESCAR. ÁGUA-NAVEGAR.  ÁGUA PURA.  ÁGUA BENTA. ÁGUA QUENTE. ÁGUA GELO. ÁGUA ABRAÇO. ÁGUA NAUFRÁGIO. ÁGUA NA BOCA. ÁGUA NA OCA!


 


 


O olho arregala e se regala, os sentidos "acordam" alvoraçados, preocupados. Que a água é vida todo mundo sabe, mas no meio da corrida poluída de cada dia, a gente até acaba esquecendo. Babaquice? Não mesmo. ÁGUA NA OCA, mostra e prova isso. Uma megaexposição  (8.000m2): aquários reais, aquários virtuais, fotografias maravilhosas, instalações intrigantes, obras de arte e por aí afora. As janelas redondas da Oca foram transformadas em escotilhas de navio. É só chegar para entrevêr águas borbulhantes, submarinos tecnológicos, recifes de corais e por aí afora, tudo isso simulado por computação gráfica. 

 



 


Cada andar tem um foco particular. No térreo, a gente sente "na pele", as diferentes relações entre a água e os seres vivos, desde os que vivem no mar, até os que vivem na terra, muitas vezes - infelizmente - morrendo de tanta sede. Nos aquários, mais de 60 espécies de peixes de ecossistemas diferentes. Uns habitam o Rio Negro,  outros a Bacia do Congo, outros....

 



 


No primeiro andar, a fúria das enchentes: uma instalação simula uma casa "tremendo" durante uma tempestade (assustador!). No segundo andar (batizado como "A Última Fronteira"), um vídeo incrível leva a gente ao fundo mais fundo do oceano para ver lugares misteriosíssimos. 

 

 


 


No subsolo, estão as obras de arte. O londrino William Pye, entre outros, participa com cinco de suas esculturas, chamadas de Water Sculptures. Nossa Cláudia Jaguaribe  explora lindamente o potencial arte que existe na fotografia. Mas não para por aí, não. Tem mais, muito mais. Vídeos deslumbrantes de artistas nacionais e internacionais.



FICHA TÉCNICA

 


 

 

A Exposição Água na Oca está no Pavilhão Lucas Nogueira Garcez, Av. Pedro Álvares Cabral, S/N° - Portão 3, Parque Ibirapuera. Foi aberta ontem , dia 26 de novembro de 2010 e fica "em cartaz" até 8 de maio de 2O11. Não deixe de ver. Você vai poder andar na água, nadar em piscinas virtuais e - o que é mais importante - ver, entender, respeitar e "economizar" sua majestade a Água. Ela merece!


 

 

Por Regina Guerreiro às 16h11

11/11/2010

DE CABEÇA!!!

 
 

DE CABEÇA!!!

 


Especial Antártica: cabeças-casulos (ou seriam cogumelos gigantes?) , povoam uma floresta desconhecida. O lance-fashion é de Nathalie Fordeyn (Academia Royal de Artes de Anvers). Adoro! Pena que vivamos nesse Saara calorento...  


 


               Wearable-art queridinha. Reparou nas mangas estufadas, "fissuradas"?

 

 

 


               Tricôs-lanternas, eco-espaciais, sabe como? Fofuras tipo anatômicas...


Por Regina Guerreiro às 14h41

09/11/2010

REI KAWAKUBO: NEM LUXO, NEM LUCRO!

 
 

REI KAWAKUBO: NEM LUXO, NEM LUCRO!

 

 

MULHER QUIETA: UMA ARTISTA NÃO PRECISA FAZER BARULHO EM

                            TORNO DELA. SEU TRABALHO "FALA".



 

Ela não tem medo de "cortar". Nem de "se cortar". E vai que vai, tentando todos os  "impossíveis" - até transformar um pedaço de pano em obra de arte. Inquieta, obssessiva, incompreendida, seu trabalho "passa longe", muito longe do que as peruas do mundo acham "um luxo". Pouca gente compreende suas idéias, seus conceitos, sua estética, sua atitude.


 VERÃO 2011: ASSUSTADOR? ENCANTADOR? PERTURBADOR?

                                             VOCÊ DECIDE!

 


"QUANDO FAÇO ALGO QUE AS PESSOAS GOSTAM, FICO DESAPONTADA: NÃO FUI SUFICIENTEMENTE LONGE.. QUANDO ELAS DETESTAM É SINAL DE QUE PROVAVELMENTE CONSEGUI FAZER ALGO NOVO MESMO. ISSO INCOMODA. AS PESSOAS ODEIAM MUDANÇAS"...




    COMPOR, DESCOMPOR, DECOMPOR, DISSECAR, RECOMEÇAR...


 

   DIFÍCIL SER REI KAWAKUBO: ENTRE OS SONHOS E OS NÚMEROS


MEMÓRIA 


Desde o fim dos anos 80, quando acontecia o auge da empetecação badalativa da disco-women, Rei Kawakubo, contra tudo e contra todos, chegou impondo seu "luto", sua visão/antevisão de um mundo em decomposição. Lembro de uma coleção incrível & terrível,  mosselines caríssimas "se rasgando" em todo seu furor/esplendor (começo dos anos 90). Adoro a alma dessa mulher, ela é minha heroína não só de moda, mas de história de vida. Eu sei, eu sei, sua moda  assusta muito e...vende pouco. Mas e daí? É o susto, o surto, o exercício incansável de ousar o "improvável", que empurram a gente para a frente. O resto é o resto: não sai do lugar. Água estagnada não muda o futuro de ninguém.

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 11h20

18/10/2010

PERFORMERS ESPANTOSOS!!

 
 

PERFORMERS ESPANTOSOS!!

 

 


 

Very London: um grupo de personagens excêntricos que faz uma mistureba very cult e very crazy da epopéia do cotidiano, da historia, da arte, do teatro,  do cinema, da cultura pop, de "tentáculos" japa-pornôs e por aí afora. Enfim, uma pseudo brincadeira, que é irônica e - ao mesmo tempo - muito séria. Um show, muitos shows de "absurdice racional", sabe lá o que é isso?``






A arte de Chetwynd, a "cabeça" do grupo (começou com 20 amigos e até membros da sua própria família), "passa" sempre um humor simpático mas...também um pouco sinistro. Numa atmosfera carnavalesca ela focaliza comportamentos extremistas, os quais  podem abranger desde Karl Max, até May West, até Bertold Brecht, até Stanley Kubrick e ...  sei lá! são tantas as referências/interferências, que a gente pira mesmo.



 

 

 

 

 


Visões utópicas, vôos absurdos: as "fantasias", os objetos, os bichos estranhos (morcegos, sapos gigantescos, salamandras, focas etc..) nunca/jamais são prefabricados. Tintas, folhas de ouro, perucas imensas entram em cena. Os tecidos são costurados, pintados, salgados. As máscaras são "esculpidas" em formas, em latex, papier maché, cartolina.


 



SÓ PARA VOCÊ SABER...


Chetwynd já brilhou/espantou em grandes eventos de arte, incluindo a Bienal de Liverpool, Trienal Tate, Contemporânea GSK e - esse ano - está participando do British Art Show 7, uma vitrine dos melhores artistas britânicos contemporâneos.


Por Regina Guerreiro às 18h53

08/10/2010

RETRATO DE UM CASAMENTO: A GAIOLA DAS LOUCAS OU A GAIOLA DAS NOIVAS??

 
 

RETRATO DE UM CASAMENTO: A GAIOLA DAS LOUCAS OU A GAIOLA DAS NOIVAS??

 

                    "A arte é uma luta contra "o estado das coisas". Também acho.

 

Ela, a gaiola, pode ser de ouro, pode ser de prata. Pode ser até coberta de diamantes: lembra daquele slogan "um diamante é para sempre"? Hahaha... Melhor, nem pensar. Melhor, nem entrar. Nem sonhar?? A foto da noiva engaiolada (auto-portrait da japonesa Kimiko Yoshida),  "acorda" uma espécie de reflexão moderna sobre a "servidão" voluntária que, tantas vezes "vem no pacote" do casamento dourado. Você se encolhe, se anula, se apaga, "se morre"...

 

 

Por Regina Guerreiro às 19h46

29/09/2010

JAPANESE CODES

 
 

JAPANESE CODES

 

 

Por Regina Guerreiro às 18h56

21/09/2010

"ABSURDEZ"?? NÃO, LUCIDEZ!

 


 

"ABSURDEZ"?? NÃO, LUCIDEZ!

 

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 17h21

14/09/2010

FRIDA KAHLO: RETRATO DE UM MÉXICO TRISTE E DE UM MÉXICO LINDO!

 
 

FRIDA KAHLO: RETRATO DE UM MÉXICO TRISTE E DE UM MÉXICO LINDO!

 

 

Melancolia sem cura,  sensualidade assumida e sensibilidade paranormal, marcaram suas pinturas que - simplesmente - me embriagam...

 

 

"Eu pinto-me porque estou muitas vezes sozinha e porque sou o tema que conheço melhor".

 

Intensa, sofrida, mal amada, Frida conseguiu  "segurar" uma vida bandida, um corpo dilacerado. Fez arte, fez amor, fez beleza, apesar de tudo. Até a moda ela mudou  com suas saias compridas, bordadas, engalonadas, que - em verdade - escondiam as sequelas da poliomelite da infância. 

 


                    "Pies, para qué los quiero si tengo alas para volar?" (1953)


Impossível contar como foram seus dias - plenos demais, lancinantes demais e até voluptuosos demais - com palavras poucas. Seria leviano, até. Então, não. Conto outras coisas: uma "viagem incrível" que você pode e deve fazer agora, olhando as fotos (mais de 400) que estão no livro "lindolindolindo" que a Cosac Naify publicou sobre Frida. Corra, queridinha, a edição é limitada!!

 


                  Frida Kahlo fotografada por seu pai Guillermo Kahlo (1929)

 

Outra "Viagem no Tempo" que muito provavelmente nem eu nem você possamos fazer, visitar - ao vivo e em cores - a exposição fantástica que está acontecendo em Viena (a maior que já aconteceu na Europa) sobre a pintora mexicana. Ah, como eu adoraria estar lá..., me "lambuzar" nas cores da cultura popular mexicana que, ninguém como Frida, conseguiu captar com tanta força e com tanta garra.



         Uma retrospectiva de Frida Kahlo (1907/1954): seu carma e suas fantasias.


Ela disse: "Espero que minha partida seja feliz e espero nunca mais regressar". Só que a memória dela, vive - ainda e ainda -"partout": nos seus quadros, nos seus retratos e,  agora, perpetuada, até nas cédulas 500 pesos, do dinheiro mexicano! Será que Frida gostou?? Sei não... Acho que não.

 

 

 

PS. Já sei, você deve estar achando estranhíssimo que eu não escreva nem uma palavrinha sobre Diego Rivera, seu marido também pintor. Mas...fazer o quê?? Eu não gosto mesmo dele...

 


 

 

Por Regina Guerreiro às 18h29

31/08/2010

ASSUNTO EXCITANTE: VOYEURISME!

 
 

ASSUNTO EXCITANTE: VOYEURISME!

 

 

 

 

Janelas indiscretas. Câmeras clandestinas. Fechaduras tentadoras.  Olhos gulosos, perigosos. Todo esse universo, nem sempre perverso, cresce e aparece numa exposição fascinante que está acontecendo na Tate Modern (London). 

 

 

 


É um assunto apaixonante a tentativa de "desembaraçar" essa relação complexa entre o chamado "voyeur" e a imagem roubada. O "vicio" é antigo (1800). Fotógrafos geniais (Man Ray, Henri Cartier Bresson, Helmut Newton, assim como outros menos conhecidos como Walker Evans (anos 40), Lee Friedlander (anos 60), Kohei Yoshiyuki (anos 70), percorrem todos os tempos "objetivando" nossos medos, desejos, segredos.



 

 

Testemunhao de Kohei Yoshiyuki: "Como meu caso sempre foi ir ao extremo  da foto "voyeuriste", posso confirmar que  utilizei a câmera como uma espécie de esconderijo. Fazer essas fotos satisfaz meu desejo de estar no coração de um acontecimento, conservando um elemento de separação. Estou lá, mas não estou lá. Tenho prazer em captar uma cena visualmente interessante, que não foi "montada" (como um cenário) para mim". 

 

 

 

 

Só que after all, é impossível não pensar que - cada vez mais - as câmeras now são utilizadas como vigias para capturar assaltos ou flagrar atos de violência. Menos poéticas, mais invasivas, mais "marketeiras", e (quase nada) artísticas. 

 

 

 

P.S: A exposição Voyeurisme vai estar na Tate Modern (London) a partir de 20 de outubro de 2010 e fica aberta até 17 de abril de 2011. E até lá - vai saber? - pode ser que a gente esteja passando por ali...

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 18h07

19/08/2010

NOSSO "DOPPING" DE CADA DIA...

 
 

NOSSO "DOPPING" DE CADA DIA...

 

 

 

O esporte não tem mais o monopólio do chamado "dopping". As pessoas usam "bolinhas" para ter sucesso nos estudos ou até para conservar seu emprego. 

 



Por que ? Falta de motivação, principalmente. Depois do caos e da pressão  de cada dia (um trabalho desagradável ou a insuportável exigência de resultados), vem a inevitável depressão. E dá-lhe Ritalina para encarar tudo. Ela acorda, sabe como? Claro, não deixa de ser uma forma de "dopping". Mas - não se espante - só os suiços consomem 200 quilos por ano, entupindo o cérebro  com a droga mágica. 

 


Dizem os experts que no futuro todo mundo vai tomar Ritalina, ela fará parte do nosso cotidiano. Estão sendo estudadas até bebidas especiais e alimentos híbridos (como o yogurt, por exemplo), que contenham substâncias químicas capazes de tornar as pessoas mais inventivas, mais "ligadas", mais prá cima!!


Conclusão: sinal dos tempos. Viver (ou sobreviver) já está sendo difícil. E  - aiaiai! - parece que num futuro bem próximo, vai ser mais "barra pesada" ainda.

 


 

Previsões e declarações do psicoterapeuta Dr. Cláudio Moretti, do expert em tendências Sven Gabor Janszky e do Diretor de Pesquisas da Unilever Dr. Werner Klafftke.

 


 

 

 

Por Regina Guerreiro às 16h17

14/08/2010

PORQUE HOJE É SÁBADO, TEM BRIGA, TEM BIRRA, TEM BEIJO, DESEJO, TEM IDA, TEM VOLTA, TEM IDA SEM VOLTA E - AINDA BEM - TEM EDITH PIAFF CANTANDO PRA GENTE...

 
 

 

 


 

Por Regina Guerreiro às 05h14

07/08/2010

PORQUE HOJE É SÁBADO... PÁSSARO QUER AR, PEIXE QUER MAR, HOMEM QUER... EU SEI LÁ!

 
 

PORQUE HOJE É SÁBADO... PÁSSARO QUER AR, PEIXE QUER MAR, HOMEM QUER... EU SEI LÁ!

 

 

"A fish with a smile" de Jay Shih, Alan I. Tuan and Poliang Lin, Urso de Ouro do Festival de Berlim 2007.


 

 

Por Regina Guerreiro às 16h11

25/07/2010

ANDANDO NO FIO... AINDA QUE DE SALTOS ALTOS!!

 
 

ANDANDO NO FIO... AINDA QUE DE SALTOS ALTOS!!

 

 

 

 

A metamorfose, diz Salmon Rushdie,  é o coração secreto da vida". E eu pergunto: ainda que "de salto alto??"

 

 

"Pense na corda como uma linha de ar "condensado". Ou pense no ar como "algo" que se prepara ser corda. Daí... pronto! A corda e o ar (ou nosso chão imaginário) são a mesma coisa. Quando aprender isso, estará pronta para voar.  E se a corda romper (e ela se rompe..), você vai continuar andando no ar (nosso chão imaginário), sabendo que vai conseguir chegar onde quiser".

 

 

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 22h17

14/07/2010

TEMPOS MODEEERNOS...

 
 

TEMPOS MODEEERNOS...

 

 

 

 

 

 

PARIS 2010: CAFÉ DE FLORE

O cenário é incrível, todo art-deco, mas a cena não afina.  Nada de senhores-filófosos, nada de mulheres classudas,só cafonices, "banalices", zumzumzum insuportável. Como é que Sartre poderia escrever agora, no meio de um barulho desses?? Leila Gicquel, a mulher-maravilha que guiou meus primeiros passos em Paris (1968), pede um irish-cofee, sem açúcar no creme, mas... aiaiai, os garçons de hoje não são como os de antigamente, e o tal irish-cofee chega açucarado mesmo. Penso em "Náusea" (sinto náusea), um dos livros "sartrianos" que prefiro.  É isso. Sobrou isso.

 


 PARIS 2010: BRASSERIE LIPP

 Muito provavelmente a mais deslumbrante de Paris. Mas...credo! Cadê aqueles famosos (de verdade!?), como Jean Paul Belmondo, Alain Delon, Romy Schneider, Yves Montand, Simone Signoret e por aí afora, que jantavam numa das mesas, logo ao lado?? Vi isso, vivi tudo isso. Agora, nada de nada. Apenas um casal de turistas estilo primeira viagem. Ela, peitinhos turbinados, veste Zara... Ele, americano tipo dono do mundo, quer foie-gras com ...Coca-Cola. Credo!! O garçom (de época) fica p... da vida."Aqui é o Lipp, monsieur. Ici, pas de Coca". Ainda bem: de vez em quando, os tempos modeeernos não estão com nada...

 


  PARIS 2010: DEUX MAGOTS

Até o "Pimms-Champagne" chega pobre, muito pobre, quase sem as cerejas (que eu adoro...) maceradas "dans l'eau de vie"... Peço mais cerejas "s'il vous plait, Monsieur", mas... "rien de rien". Diz a história que Rimbaud, Verlaine,vinham muito aqui, ... (século dezenove). Depois vieram Sartre e sua Simone de Beauvoir (existencialistas cinquentinhas). E depois ainda, Camus,  Hemingway, Picasso, etcetc. Agora sou eu (cliente desde os anos 70), mas onde estou??Alemães, Japoneses, Africanos, Americanos, invadiram tudo sem a menor cerimônia. Os franceses sumiram, fugiram para um desses cafés desconhecidos, onde ainda dá pra pensar, ainda dá pra sonhar. Quer saber? "Fui" também. Me encontrem no..... Psssiss, é segredo !


Por Regina Guerreiro às 13h03

My bio

"As pessoas perguntam minha idade. Bobinhas... Elas não sabem que eu sou eterna?" [Regina Guerreiro]

Histórico

© 1996-2010 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host