Blog da Regina Guerreiro

05/10/2010

COM CALCINHA OU SEM CALCINHA??

 

COM CALCINHA OU SEM CALCINHA??

 

 

 

Fato consumado: as saias longas estão de volta. Os anos 70 das hippies de luxo (como eram as de St. Laurent) invadem as passarelas internacionais do verão 2011. E provocam até estranhamento, já que as recém-chegadas no "mundinho", nem tinham ainda nascido quando a maxi aconteceu. Vai daí que no fim de uma boa noitada numa dessas festas que acontecem agora em Cannes ou em St.Tropez, as saias sobem (calor demais?),  são amarradas na cintura e...continuam a dançar.



O croqui - do próprio St.Laurent - em contraponto com Paris Hilton, cada vez mais 

"enlouquecida", vulgarizando tudo (põe "devassa" nisso...). Mas a idéia de levantar

 a saia e amarrar na cintura, é bem legal. Com calcinha, claro, de preferência.


MEMÓRIA


Sabe? A maxissaia aconteceu nos anos 70, por uma necessidade de sobrevivência da indústria têxtil. A mini não precisava de muito pano e as tecelagens padeciam... Quando a maxi de St. Laurent apareceu, foi um susto! Lembro muito bem, eu estava em New York fazendo um estágio na Harper's Bazaar e - um dia, de repente - todas as vendedoras do Saks Fifth Avenue, apareceram de saia comprida. Ui, a moda tinha mudado o retrato do mundo! Fiquei louca para comprar uma cigana deslumbrante do St.Laurent. Mas - que pena! - não deu.


 

 

Por Regina Guerreiro às 11h32

09/09/2010

POBRE É A MENINA RICA!!

 
 



POBRE É A MENINA RICA!!

 

 

 

 

 

FOTO: CRISTINA GHERGO

 

Por Regina Guerreiro às 18h20

30/08/2010

HORAS CERTAS, HORAS INCERTAS...

 
 

HORAS CERTAS, HORAS INCERTAS...

 

 

 

Regina Guerreiro 1984                                                         Foto Miro 

 

Por Regina Guerreiro às 17h33

23/08/2010

ATRAÇÃO FATAL? SERPENTES,QUERIDINHA...

 
 

ATRAÇÃO FATAL? SERPENTES,QUERIDINHA...

 

 

 

 



 

 

 

Venenosas elas são mesmo. Mas fetichistas, também. Primeiro elas hipnotizam e logo depois ... socorro!  dão o bote!! A moda usa "descaradamente" o mesmo feitiço: "serpenteia" colares,  pulseiras,  anéis e - sometimes - até se enrolam no corpos das bonitinhas. É o réptil-style e...funciona, desde sempre.


 

 


 

 

Realização: Veronique Didry - Vogue Paris 2010

Realização Regina Guerreiro - Vogue Brasil anos 80

 

 

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 15h21

16/08/2010

EU SOU DE BRIGA!!

 
 

EU SOU DE BRIGA!!

 

 

Por Regina Guerreiro às 19h06

29/07/2010

...AINDA??

 
 

...AINDA??

 

 

 

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 13h51

09/07/2010

ONTEM FICOU SENDO HOJE!!!

 
 

ONTEM FICOU SENDO HOJE!!!

 

Uma boutique vintage? Uma cápsula de Ali Baba? Um museu? Dificil definir o que é o espaço de Didier Ludot nos Jardins du Palais Royal em Paris. Adoro! Aliás todas as parisienses sabidas adoram. O que elas  descobrem por lá? Os melhores modelões antigos da alta-costura, solenemente "rejeitados" durante quase um século", sem falar das bolsas Hermès, dos casaquetos Chanel, das botas espaciais de Courréges, dos bijoux 30/40/50/60/70 e por aí afora.


 

 

Didier Ludot (designer, colecionador,  curador), em momento Oscar Wilde. Sua boutique celebra  "em busca do luxo perdido", como diria Proust.


Agora (de 6 de julho até 30 de agosto), algo inédito: a ressurreição de um Little Black Dress, croqui 1956, assinado pela então famosa Madame Carven Tudo por causa de uma conversa de Ludot  (olho afiado sempre) com William Henry (o novo diretor de criação da Maison Carven), em que pintou a idéia (bacana) de fazer esse modelito (em verdade, modernérrimo!) viver outra vez. A edição é limitadíssima, e o preço absolutamente tentador : 500 euros (tipo 1250 reais, dependendo do câmbio do dia, claro.


 



The Little black Dress: vestido-corset, cintura apertada,

saia rodada. Croqui de Madame Carven (1956), reedição numerada 2010.


 



 

Por Regina Guerreiro às 16h00

01/07/2010

Entre cores e humores

 
 

Entre cores e humores

 

 

Noite e dia,brigo pela cor. E assim que vacilo,socorro!,meu spray evapora e a vida vira instantaneamente um filme    insuportável,melancólico,esquinas e mais esquinas cinzentas,rabugentas. Ruas difíceis de atravessar,impossíveis mesmo eu diria,não         fosse eu sacudir minha neblina,e me jurar que do outro lado do muro,tem um tonel de cores me esperando,me                                                                                               recolorindo,redimindo,salvando... ( Regina Guerreiro - 1984)                         

 

                                              

                                      
                                                              Priscila Darolt verão 2011

 

 

 

Por Regina Guerreiro às 16h37

Troca-Troca

 
 

Troca-Troca

 

 

Alô, alô,  queridinha. Abra o olho,  porque...viu só? Nem tudo que é fashion vem de lá pra cá. Também tem grandes sacadas que vão de cá pra lá!!! Arrasou, Ronaldo. 


 

 

 


 

 

Por Regina Guerreiro às 10h29

My bio

"As pessoas perguntam minha idade. Bobinhas... Elas não sabem que eu sou eterna?" [Regina Guerreiro]

Histórico

© 1996-2010 UOL - O melhor conteúdo. Todos os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host